Entre o Agora e o Nunca, de J. A. Redmerski

Capa-Entre-o-agora-e-o-nunca

“Acho que tive medo de ser eu mesma a maior parte da minha vida.”  (Camryn Bennett)

          O livro conta a história de Camryn Bennett e Andrew Parrish. Não é um livro “família”, muito menos infanto-juvenil. Me surpreendeu como história, tanto por ser um enredo bem diferente como uma linguagem também muito diferente de tudo que eu já li.

          Camryn (Cam) é uma garota linda com o emocional esmagado. Depois de perdas, traições e uma baita desilusão sobre a vida amorosa, ela decide pegar um ônibus interestadual para o primeiro lugar que tiver passagem disponível. Tudo o que ela queria era desopilar a mente. Não com esperança de um rumo melhor, mas sim sair sem rumo para encontrar uma esperança.

         Mas a vida é uma caixinha de surpresas… Nesse mesmo ônibus está Andrew Parrish. Um cara do tipo bonitão e charmoso, mas nem um pouco delicado para atrair uma boa conversa na primeira tentativa. Andrew também tem seus mistérios emotivos para estar ali. O que esses dois jovens não imaginavam é o que o destino (ou coincidência?!) havia preparado para eles. À medida que vão se conhecendo, Andrew e Cam vão descobrindo um no outro tudo o que precisavam.

           “Entre o Agora e o Nunca”  é um New Adult e foi escrito pela autora Jessica (J.) A. Redmerski e lançado nos Estados Unidos com o título original de “The Edge of Never”, em 2012. No Brasil, foi lançado em 2013, pela Suma de Letras.  A história é cheia de reflexões sobre a vida (e o fim dela), uma verdadeira aventura e ainda surge nesse meio uma baita playlist! 😀    Foi um livro que me impressionou em vários aspectos, mas principalmente pela coragem da autora de colocar em questão assuntos do tipo “o que vai ser daqui pra frente” sem ser algo meloso.  Uma narrativa muito boa e envolvente, daquelas que não dá vontade de parar de ler!

P.S.: NÃO é livro para criança! É um quase típico +16 ou +18. Contém conteúdo um tanto…detalhado, que eu acho meio desnecessário tanto detalhe, mas fiquem tranquilos: isso não diminui a qualidade da história, nem faz dela um Fifty Shades Of Gray

Por Vitória Regina 

 @vitoriaonbooks

17 coisas que todo viciado em livro já fez

É, meus caros… demorei, mas voltei. Mania é um negócio que já vem acompanhando a leitura. Hoje vim para citar fatos que todo leitor viciado já fez , e se não, um dia vai fazer. Ah, vai…

 

1. Cheirar livro novo (ou um velho toda vez que for abrir)

2. Postar foto do/com o livro

3. Escrever em cadernos, blocos de papel, facebook, as citações mais… marcantes

4. Sofrer pelo personagem (e com isso passar vergonha na frente das pessoas também…)

5. Xingar um personagem por ele “ter feito uma burrada”

6.Virar fã de um vilão, por mais malvado que ele seja

7. Conferir todos os dias várias vezes no site da livraria o prazo de entrega dos correios

8. Odiar as versões para cinema (ou amá-las…)

9. Odiar personagens do filme que nem existiam no livro

10. Ficar admirando o livro na vitrine da livraria

11. Ficar em dúvida sobre como se pronuncia o nome do personagem

12. Adotar hábitos de um personagem

13. Falar de um livro em tudo e para todos

14. NÃO falar do livro, evitando assim pedidos de empréstimo

15. SE EMPRESTAR, antes de entregar o livro soltar a célebre frase: “cuide dele como se fosse o SEU FILHO!”

16. Levar o livro na pasta/mochila dentro de uma bolsa para não danificar

17. Colecionar marcadores de página

 

                                         sorte ou azar meg cabotcheirar os livrosmarcapag acede jujuba

 

E você, tem alguma mania em relação a livros? Deixe nos comentários!

 

Beijos, Vivi.

 

 

 

Livros: emprestar ou não?

emprestar livro

fb/phrasesdelivros

 

Pois é, meu caro. Talvez você tenha parado nesse post porque se identificou com o título. Muito provavelmente você e mais um zilhão de gente já passou por essa perguntinha. Porque claro, sempre vai ter aquele seu colega que mesmo não tendo tanta aproximação com você e até sabendo que você não quer de fato emprestar, vai pedir.

Não existe um problema definido em emprestar livros, mas sim qual vai ser o estado do livro quando ele voltar, se é que ele vai voltar. Eu já conheci muitas febres de livros a partir de alguém que me emprestou e eu me interessei. Acontece que às vezes a pessoa tem um certo carinho pelo livro e quem tá pedindo não entende que ela quer que ele seja cuidado.

Eu empresto livros sim, mas só para quem eu conheço e sei que gosta de ler, que vai ler mesmo e vai cuidar. Já emprestei livros com o coração partido e eles voltaram esquisitos, amassados, com riscos na capa e isso é muito frustrante, principalmente quando era um que eu havia juntado dinheiro pra comprar e ter cuidado e ele ter voltado inspirando Destrua este diário. –‘

Não quero que vocês pensem que eu sou egoísta por não emprestar, na verdade eu tenho muita vergonha de dizer não e muitas vezes acabo colocando meus livrinhos na forca. Mas aí vem o outro lado da moeda: Vivi, você pega livro emprestado? Então, quando preciso pego sim, mas também com vergonha porque nem sempre eu consigo devolver o livro numa data estipulada e sei que isso não é legal. Por isso sim, eu pego, mas geralmente evito.

E para vocês não acharem que eu sou um carrasco, saibam: existe leitor pior! Outro dia eu tava falando com algumas pessoas sobre isso e uma amiga disse que só empresta se a pessoa assinar um contrato/acordo e se houver algum atraso, deve pagar um tipo de multa. Outras pessoas disseram que não emprestam de jeito nenhum e outras pouquíssimas disseram que depois de ler, emprestam e nem se preocupam sobre quando o livro vai voltar (gente boa!).

E vocês, emprestam seus livros? Comentem suas experiências abaixo sobre essa verdadeira virtude (risos) que é emprestar os tão amados e cheirosos e cuidados e lindos e caros e…

 

Por Vitória Regina